24 de abril de 2011

Dica de livro para estimular linguagem escrita

Meu filho mais velho está com três anos e meio. E nesta idade o método Doman não tem sido suficiente para suprir toda a sua sede de conhecer. Por isso ofereço outras experiências e conforme ele vai aceitando, aprofundo o que ele demonstra ter mais interesse. Claro, ele é uma criança como qualquer outra: adora brincar no parque, jogar bola, assistir desenho na TV, fazer amizade. Mas adora aprender. O método Domam fez com que ele se interessasse pelo mundo da linguagem: seu vocabulário aumentou significativamente, seu interesse em ler também. Mas agora ele quer escrever. Embora eu saiba que existe um programa específico em Doman para ensinar crianças a escreverem ainda não o conheço profundamente por falta de tempo para pesquisar. Por isso tenho utilizado o método fônico como alternativa para o letramento do filhote aqui em casa (mais ou menos 1 hora por dia, descontados fins-demana, feriados, idas ao médico e dias aperriados). Tem dado muito certo, e sua escrita passou rapidamente da fase pictórica para a fase pré-silábica. Agora está adentrando a fase silábica/silábica-alfabética. Para quem não está muito familiarizado com os temos,vejamos uma breve explicação:







Um material que tem me ajudado bastante nesse processo é uma coleção da Disney chamada "Disney na sala de aula", da editora IBEP.

Descobri por acaso numa livraria, veja a sinopse: "A coleção 'Disney na Sala de Aula' foi desenvolvida visando complementar a aprendizagem nos ciclos iniciais do ensino, utilizando metodologia pedagógica aliada à experiência de contar histórias. A coleção é composta por 12 livros, e cada um contém atividades elaboradas para desenvolver habilidades e competências consideradas essenciais para o sucesso escolar. Adesivos interativos, jogos, cartas, entre outros, visam ajudar a criança a conhecer, praticar e dominar habilidades importantes para o processo de alfabetização e de letramento. Cada livro desenvolve um conteúdo que é apresentado por uma família de personagens Disney,tais como: Mickey Mouse e seus amigos, Pooh, Toy Story, Princesas, Fadas e Carros. Este tem como personagem a 'Branca de Neve'. "


Comecei com o livro de letras maiúsculas do Pooh, aliando cada letra a suas sílabas fonéticas correspondentes (para isso uso também como apoio o site Bebelê).

Tem um carinha bem desafinado que canta no site, mas dá pra engolir porque a idéia é original, boa e gratuita. Às vezes baixo o som e cantamos eu e meu filho. Não tenho forçado nada, e procuro manter um ritmo que não seja cansativo mas que também não subestime a inteligência dele. É incrível mas na escola, até agora, ele só viu a escrita da letra A e da letra E. Isso é dar migalhas para mentes que querem muito mais. Basta disponibilizar conhecimento que vemos com que sede eles vão atrás. O alfabeto não é mais novidade pra ele faz tempo. Mas agora ele o está vendo com novos olhos, com olhos de quem quer escrever, decodificar para se expressar. E sempre aparece com uma palavra nova, que de repente prestou atenção para me perguntar: "Mãe, essa palavra começa com Ba, não é?", ou, "Mãe, como escreve tal palavra?" Respondo mas levo tudo em clima de brincadeira, sem ansiedade, sem testes, sem estresse. Os livros da coleção Disney ajudam porque têm histórias, adesivos, espaço pra pintar, fazer joguinhos, tudo é ensinado de forma muito lúdica. Mas muito metódica. As letras maiúsculas, por exemplo, não seguem a ordem alfabética, mas são divididas pelas formas geométricas que as compõem: traço reto, inclinado, curvo ou circular. Tem muito mais lógica quando o foco é a escrita. Outro ponto forte é que a coleção pode ser combinada conforme o interesse da criança: linguagem, raciocínio lógico e matemática. O nível de palavras e frases utiliza o método da "palavração", ou seja, as palavras não são apresentadas por sílabas, mas inteiras, através do reconhecimento textual feito nas histórias. Alguém pode argumentar que misturar métodos de letramento assim pode causar confusão na cabeça da criança. Por aqui vejo o contrário: a variedade de métodos enriquece a experiência do meu filho com as palavras. Ele percebe diferentes nuances e as une para compor a sua própria lógica no apreender a linguagem. Acho justo que sejam mostrados diferentes caminhos para a aprendizagem a fim da criança decidir por um - ou criar o seu próprio, pois ninguém aprende igual a ninguém.


E assim vamos caminhando. Em um mês e meio passamos da fase pictórica para a silábica/silábica-alfabética (às vezes essas fases acontecem juntas), com muita diversão e sorrisos. É um momento só nosso, mãe e filho, momento de afetividade que cataliza a aprendizagem. Hoje ele já escreve seu nome e pequenas palavras que decifra foneticamente, como uva, ioiô, vovó, lua, etc. Eu sei que um dia,aos 4, 6 ou 10 anos de idade ele vai aprender a escrever tudo. O tempo para isso não me interessa. Mas esse nosso tempo passado juntos, isso sim é valioso, único, frutífero, urgente e insubstituível.

7 comentários:

  1. obrigada pela dica da coleção da Disney. Aliás dicas aqui é o que não falta.

    Acompanho seu blog. Tenho um menino de 1ae9m. Que já reconhece os números e letras. Ele joga coelho sabido maternal e agora já está indo para o jardim.

    O joguinho é excelente e muito educativo.

    tb sou como vc não fico só no doman não...misturo e procuro sempre novidades para o filhote e o que ele aprende é detalhe . O tempo passado junto dele , faz tudo valer a pena.

    ResponderExcluir
  2. Olá, querida!
    Obrigada a vocÊ pelo feedback, e parabéns pela iniciativa de estar junto com seu filhote (tem nada mais gostoso, né?). Por aqui tenho o coelho sabido maternal, jardim e 1ª série. Vinícius agora está fascinado pelo nível do Jardim (mas aind agosta de jogar o maternal). É maravilhoso para desenvolver o raciocínio, a coordenação motora e a linguagem.

    ResponderExcluir
  3. Para quem deseja pesquisar sobre a metodologia Doman no ensino da escrita,sugiro a leitura do livreto (em inglês) "How to teach your baby to write", de Janet Doman, que você pode pedir pelo e-mail order@gentlerevolution.com ou grp@iahp.o​rg

    ResponderExcluir
  4. Olá Luciana,desde que descobri seu blog faço visitas regulares. Obrigada por ser tão dedicada a seus filhos e por passar prá gente suas experiências e aprendizado com eles. Invejo a condição de vcs que são mães em tempo integral. Sou farmacêutica e trabalho fora 8 h por dia.Preciso trabalhar. Mas não troco por nada meu horário de almoço, pós expediente e fins de semana ao lado do meu filhote. Davi tá com 2 anos e um mês. Desde o meio do ano passado estou aplicando o método Doman de leitura com ele. O retorno foi rápido, mas eu interrompi em Dezembro(não sei se fiz certo em dar férias prá ele)pois na verdade não estava dando conta de preparar o material e ainda montar a festinha de aniversário dele. Gosto de preparar eu mesmo. Agora quero voltar mas estou com uma dúvida, continuo de onde parou ou faço uma revisão. Tenho a impressão de que ele esqueceu muita coisa. Já lí os livros de Doman: "Como tornar seu filho mais inteligente"(edição mais nova) e também "Como ensinar seu filho a ler" (edição de 1979),e ele sugere que na falta de material para interromper o processo e voltar tão logo puder. Pois é, será que já não passou muito tempo? O que vc acha que devo fazer? Mais uma vez obrigada pela riqueza de conteúdo do seu blog. Lílian

    ResponderExcluir
  5. Oi Lílian!
    Obrigada a você por acompanhar o blog!
    Sei que ser mãe em tempo integral é um grande privilégio, mas agora sinto que estou vivendo um privilégio maior ainda: trabalhar como professora na escola e sala dos meus filhos. Pense numa alegria!
    Mulheres como você são motivo de grande orgulho. Não é moldeza chegar em casa cansada e alémde dar conta de tudo, ainda tirar tempo para investir no aprendizado do pequeno. Você é uma guerreira!
    Quanto as férias, você está certa. REcomenda-se que nas férias o método seja interrompido. MAs eu nunca vi nada falando sobre o que fazer ao voltar, heheheh. Não enho uam resposta certa pra você, mas vou dizer o que eu fiz: tirei 15 dias para revisar tudo que havíamso visto no semestre anterior. Ao invés de cumprir aquela ordem, de 3x por dia, eu mostrava tudo aleatório, msiturado, mas várias vezes, apra rerescar a memória. E agora estou começando palavras novas. O fato é que eles realmente esquecem se a gente não trabalhar. Mas procure retomar as palavras antigas fazendo pares de palavras e frases, por exemplo, ou ainda, livrinhos. Dê um jeitinho de fazer coisas novas com as palavras antigas, certo? O que eles enjoam é a forma de mostrar, mas se mostramos a mesma coisa de forma diferente eles não enjoam não. Beijo!!

    ResponderExcluir
  6. Lu suas recomendacoes de livros nao falham. A colecao disney maiusculas minusculas contar creio serem indispensaveis. Encontrei nesses dias na cia dos livros menos da metade dos precos liguei p editora da colecao realmente nao editam mais. denise andrade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por vocês, Denise! Aqui acabei comprando uns a mais para usar com meu mais novo, justamente por medo de não encontrar mais também. Abraço!

      Excluir