26 de outubro de 2011

Doman e a filosofia do método materno

O que mais admiro na metodologia Doman de estimulação precoce é que, ao contrário da maioria dos métodos que considera apenas o aspecto neurológico e intelectual da criança, Doman dá muita ênfase ao aspecto afetivo. Tanto que uma das bases de seu pensamento está no que ele chamou de Filosofia do Método Materno, que pode se resumir em sua famosa frase: "As mães são as melhores professoras do mundo". As mães, que costumam ser os seres mais criticados, desvalorizados e desdenhados do mundo, especialmente por teóricos, médicos, cientistas, que costumam torcer a boca para seus arroubos sentimentais e considerar exageradas e imparciais suas opiniões, essas mesmas mães são tratadas com respeito e valor por Glenn Doman.

Então a mãe acha seu filho incrivelmente inteligente vendo detalhes que ninguém mais vê? Ótimo! Ele não dá um sorrisinho complacente de quem diz: "Exageros de mãe coruja". Doman acredita que aquele bebê é mesmo imensamente inteligente e pode aprender coisas incríveis, e incentiva a mãe a continuar achando isso (já que o mundo inteiro está mobilizado para fazê-la desacreditar do potencial de seu bebê). Então a mãe tem uma maneira sentimental de ensinar, entremeando conteúdos objetivos com beijos e abraços a toda hora? Tanto melhor! Doman reforça a necessidade desse tipo de estímulo para a criança desenvolver amor pelo aprendizado. As mães nunca estão satisfeitas com a maneira como os outros cuidam ou educam seus filhos, pois acham que só elas sabem o "jeitinho certo", e só elas percebem que as crianças podem ficar muito melhor do que estão? É isso mesmo! Doman teve a experiência de comprovar que elas estão mesmo certas quanto ao fato de que ninguém melhor que elas pode promover o desevolvimento integral e a melhor educação dos filhos. Ele diz, com propriedade, que não poderia ser diferente pois durante milênios as mães era as únicas pessoas que sabiam alguma coisa a respeito de crianças. De repente, pedagogos, médicos, psicólogos e mais uma frente de especialistas resolveram assumir a posse das crianças, não acreditando que os pais sejam capazes de lidar com elas. "As mães não são o problema das crianças - elas são a solução" (Como multiplicar a inteligênciado seu bebê, p. 140)

Muito embora Doman seja mais associado a técnicas, como os flashcards e outros estímulos com a maior cara de ciência comportamentalista, chegando perto e prestando atenção ao que ele escreve percebemos que ele construiu toda a sua técnica em cima do vínculo amoroso entre pais e filhos como força motriz para tornar eficaz as suas teorias. E eu me curvo diante de um médico e teórico que não endeusa a razão, mas considera o humano como um só ser, onde razão e emoção se complementam, e não se opõem. E fiquei positivamente impressionada de conhecer um homem que, nesses tempos onde tanto se cobra da mulher uma carreira profissional de sucesso fora de casa, ousa respeitar e valorizar as mães que decidem ser mães por profissão, e fazer dessa atividade algo para o crescimento intelectual e emocional conjunto de seu filho e de si mesma. Mais ainda: não discrimina as mães que não podem se dar ao luxo de serem mães em tempo integral pois precisam trabalhar, ou querem uma profissão fora de casa. Ele também se dirige a estas, ajudando-as a pensar em modos de aproveitar da melhor maneira o precioso tempo que elas tem com os seus filhos. A perspectiva de maternidade sugerida por Doman desafia o chavão de que "ser mãe é padecer no paraíso": enquanto muitos encaram a maternidade como hora de parar, Doman aponta para um sentido diferente.

"Eis aqui as nossas jovens mães, no auge de sua vida, não no começo do fim, mas no fim do começo. Elas estão aos 25 ou 32 naos aprendendo a falar japonês, inglês, ler espanhol, tocar violino, fazer natação, indo a concertos, visitando museus, e muitas outras coisas esplêndidas que a maioria de nós sonha em fazer em um futuro distante (que para muitos nunca chega). E o fato de estarem fazendo essas coisas com seus filhos pequenos multiplica a sua alegria. Elas têm um sentido de alto propósito e muito orgulho de suas crianças e da constribuição que estas darão ao mundo. Elas igualmente expandiram e aumentaram seu próprio conhecimento e sentem-se mais confiantes e mais capazes do que antes para começar a en sinar seus filhos. Elas esperavam que seus filhos mudassem, mas ficaram espantadas ao descobrir que seus próprios objetivos e ambições de vida cresceram ao tornarem-se mães profissionais." (Como multiplicar a inteligência do seu bebê, p. 347)

Portanto se você utiliza ou quer utilizar as técnicas de Glenn Doman para estimular seu filho, primeiramente esteja bem consciente do que significa a filosofia do método materno que Doman defende e utiliza como base para seu pensamento. Pergunte-se se você também está crescendo com a decisão de tomar tempo para estimular seu filho. Crescendo como ser humano, não apenas inflando o ego. Pergunte-se se você também está aprendendo e se divertindo com seu filho. Atente para a qualidade do vínculo afetivo entre você e a criança: melhorou? Estão mais próximos e se entendendo melhor? Comunicam-se melhor? Você sente prazer com isso ou apenas quer satisfazer a cobrança de ser a melhor mãe da sala de espera do pediatra? As coisas que você faz pelo seu filho tem aumentado seu conhecimento e sentido na vida?

Perceba que aderir ao método Doman não se trata de fazer cartões com palavras milimetricamente calculados e colecionar o maior número de Bits que você seja capaz. Estamos falando de passar tempo com a criança. Não tem sentido, por exemplo, fazer centenas de cartões e pedir a outra pessoa, mesmo a professora dele, para passá-los para seu filho. Pode até funcionar do ponto de vista meramente neurológico, como funcionaria qualquer esquema de estímulo - resposta bem arquitetado. Mas isso não é Doman. Matricular seu filho em diversos cursos de líguas não é Doman. Deixar o filho fazendo aula de natação e judô com o professor e pegá-lo ao final, não é Doman. Pagar um excelente professor de música ou deixá-lo em tempo integral numa escola com primorosos projetos pedagógicos, não é Doman. Tudo isso pode contribuir bastante para o desenvolvimento cognitivo de seu filho. Mas não tem a ver com a metodologia Doman. Se o número de cursos muito bem pagos determinasse a qualidade do estímulo de uma criança, então só crianças de classe média alta e ricas poderiam receber bons estímulos? Podemos assentir que o dinheiro compre a inteligência? Não é o que Doman prega. Porque segundo esta metodologia, é VOCÊ, pai e mãe, quem deve ensinar a ler, escrever, falar outras línguas, fazer esportes, tocar instrumentos, fazer atividades pedagógicas, descobrir o mundo. Mas como?? Alguém pode se perguntar como fazer isso se não temos formação para tanta coisa diferente? Como vou ensinar judô para meu filho, logo eu , que matava as aulas de Educação Física?

E essa é justamente a questão que eu queria deixar para pensar aqui: o quanto eu estou disposta a aprender, reaprender e sentir de novo vontade de aprender antes de promover o aprendizado do meu filho? Porque Doman defende que é desta minha vontade de (re)descobrir o mundo e aprender coisas novas, que vai partir o maior incentivo para meu filho querer fazer o mesmo. Não há espaço para eu me realizar no meu filho, tenho que realizar COM meu filho. Ao compreender isso, a mãe ou pai que estimula seu filho pela metodologia Doman começará a entender que é o amor que permeia o aprendizado quem irá firmá-lo de maneira inamovível. Pode se rque meu filho até esqueça como se escreve "reveillón". Mas em certo ano novo ele lembrará que estava no meu colo e levou um grande beijo quando descobriu esta palavra pela primeira vez. Pode ser que daqui a dez anos, ele e outros colegas de classe estejam lendo com igual fluência as regras de seus jogos eletrônicos em inglês. Mas fará diferença para sempre o fato de que aprender inglês era um dos momentos de cantar, rir e brincar com a mamãe. Pode ser que ele esqueça até a quantidade de coisas que aprendeu com você (mães quase nunca levam os créditos), mas ele terá certeza do seu amor como algo bem real, concreto e presente. Isso é Doman.
FILOSOFIA DO MÉTODO MATERNO:

(Traduzido e adaptado de "LOS MÉTODOS PARA EL DESARROLLO DE LA INTELIGENCIA DE LOS INSTITUTOS PARA EL DESARROLLO DEL POTENCIAL HUMANO DEL DR. GLENN DOMAN APLICADOS A LA ESCUELA")

Gostaria de insistir em que o aprender a técnica de como fazer e usar os Bits ou qualquer outro método do programa Doman, não é suficiente para que o método funcione. É necessário embeber-se de sua filosofia.

Nossa atitude há de ser de respeito e admiração pela enorme capacidade que possuem as crianças. Todas elas têm potencialmente todos os talentos: linguístico, matemático, musical, físico, etc. Para que sejam uma realidade basta que os adultos os cultivemos, no tempo propício (desde o nascimento) para que floreçam e se desenvolvam; se não fazemos,murcham e morrem.

E a melhor forma de cultivar esses talentos, nós a encontramos nas mães e pais. O mestre japonês Shinichi Suzuki, buscando um método de ensinar crianças a tocarem violino, o achou na natureza: observou com admiração que nenhum professor tem mais êxito que as mães; todos os seus filhos aprendem a falar. Aplicou o método materno a crianças desde os dois anos para ensinar-lhes a tocar violino. OS resultados foram espetaculares.

As características do método materno são:

- O amor incondicional à criança
- A fé em sua enorme capacidade pontecial
- A doçura
- A paciência
- A generosa oferta de estímulos
- A ilimitada oportundidade de progredir
- A alegria e o entusiasmo em relação aos filhos
- O aproveitamento do tempo mais propício: os primeiros 7 anos de vida da criança (Desde o nascimento todas as mães falam com seus filhos como se esses pudessem entendê-las).

É fundamental mostrar admiração, entusiasmo, respeito e uma grande alegria cada vez que a criança nos mostre (por si só, não porque o provemos) o que sabe. Esta é a melhor forma de motivar-lhe e conseguir que aprender seja para ele algo gratificante e divertido.

Pôr em prática esta filosofia será benéfico para a criança, mesmo que nãop coloquemos em prática a técnica dos Bits, porque como disse Doman, "a magia está na criança, e não na técnica".

Dando a seus alunos a oportunidade de desenvolver todas as capacidades quanto lhes seja possível, você lhes estará facilitando o caminho até a felicidade. Entre os testemunhos das mães dos Institutos Doman, um dos mais frequentes é: "meu filho é feliz todos os dias de sua vida".

Para mais informações sobre essa filosofia, fundamentos e objetivos dos métodos Doman, leia os livros desse autor [N.T.:Ver sugestões ao lado, aqui no blog]

13 comentários:

  1. Um dos melhores post que já li sobre a filosofia do método Doman.
    Nossa vivência aqui em casa com o método corrobora com cada explanação presente em teu texto!...
    Parabéns pelo ótimo post!
    Vanessa Alves.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu fiquei tão emocionada com o seu texto que eu quase chorei, só n fiz isso p tô no trabalho.
    Eu não faço mais os flashcards com minha filha pq ela n gosta mais, mas tento sempre estimulá-la partindo da premissa do Doman, mas sempre que leio esse tipo de texto sempre tenho a sensação de que posso fazer mais. As vezes me acho preguiçosa e incapacitada p ensiná-la, mesmo sabendo que estou fazendo muito mais do que a maioria das mães, mas tb sinto vontade de me esforça mais e isso me dá um novo ânimo.

    ResponderExcluir
  3. Vanessa, muito obrigada por seu comentário, é um incentivo para mim ter esse feedback.

    Nanda, não se sinta culpada! Lembre que Doman também diz que o importante é você estar sempre fazendo alguma coisa pela criança, por menor que pareça. Vida de mãe é assim mesmo, cheia de altos e baixos, o importante é seguir em frente. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Você sempre arrebentando, não é, Lu?
    Para mim, o mais importante do MD é a valorização do "status" de mãe, a importância da interação mãe-bebê, que também foi muito enfatizada por estudiosos, como Winnicott, Wallon, Levin.

    Foi importante falar do aspecto afetivo do método, porque seus opositores acusam-no exatamente de mecanicidade - o que, diga-se de passagem, não é totalmente infundado. E por vezes, até os tais beijos e abraços após os cartões, correm o risco de assumir uma feição ensaiada, calculada. Porque até isso faz parte da prescrição do método.

    Parabéns por mostrar o MD de forma tão humanizada.

    Beijos

    P.S. Amiga, eu poderia escrever páginas e páginas só argumentando sobre este assunto, mas prefiro te escrever um email, OK?

    ResponderExcluir
  5. Ana Ju, adoro teus comentários. E sou fanzona de Winnicott, Wallon, Levin e afins:-) Wallon é meu queridinho, hehehe Me escreve um e-mail, ou, melhor ainda, me escreve no teu blog pra que as pessoas tenham o privilégio de pensar sobre tua visão das coisas. Beijão!

    ResponderExcluir
  6. Amo seu blog
    mas confesso q gostaria q vc nos ensinasse sem precisar do livro a usar o metodo... nao tenho muito tempo pra ler

    vc ja pensou em criar um app pro iphone com flashcards pra gente

    sério ia ser um sucesso!!

    come ca uma serie ensinando maes como eu

    minha filha tem 1 ano ja passou da hora de começar?

    ResponderExcluir
  7. Olá, colega, obrigada pelo comentário e pela sugestão. Mas eu também não tenho tempo, kkkkk Na verdade aprendi que "tempo" tem a ver com nossas prioridades. O dia continua tendo 24h, e a gente o ocupa de acordo com aquilo que é mais importante para nós.
    Sobre o livro, ele é mesmo imprescindível. O tempo que você gastaria lendo minhas instruções aqui, você pode ler o livro, que é a melhor fonte de informação, pois é a fonte do próprio autor! Como falei neste post, só a técnica sem conhecer os princípios não adianta de nada. Por exemplo, ao ler o livro você descobriria que, para bebês, não é possível passar as palavras no iphone, porque existe um tamanho específico para as letras, conforme estudos neurológicos feitos por Doman. Também veria que eu não posso fazer as palavras para você, porque você tem que escolher essas palavras de acordo com o interesse, o universo e a necessidade de sua filha, é algo personalizado mesmo.
    Ademais, "sucesso" não é bem meu objetivo aqui :-) Eu só me disponho a partilhar as coisas que aprendo, e não espero nenhum tipo de retorno com isso, embora fique feliz quando as pessoas dão um feedback.
    Apesar disso, você pode encontrar muito material pronto aqui, clicando no marcador DOMAN, aqui ao lado direito (mas a maioria do material é voltado para o ambiente escolar), ou procurando no link "Sites pertinentes". É só adaptar.
    Sua filha está na melhor idade para começar os estímulos, pois além de aprender depressa você também verá a resposta dela imediatamente. Abraços e boa sorte!

    ResponderExcluir
  8. obrigada pela atençao

    vc tem razao

    bjos
    vou comprar o livro e continuar seguindo o blog

    ResponderExcluir
  9. Tenho 44 anos e sou avó de um belo príncipe de 3 anos. Quando minha filha engravidou, compramos o livro, mas com o dia a dia tumultuado, pois sou uma avó relativamente nova e ainda trabalho, a leitura com as plaquinhas acabou ficando de lado. Porém eu adoro esporte e estou fazendo aula de bateria. Eu e meu neto somos muito ligados e eu o levo para natação e para a aula de bateria também, até porque ele fica mais comigo que com a minha filha. Queria saber se por ser avó e ter esta participação ativa na vida dele, o método é válido ou pode trazer algum trauma futuro? Nem sempre os pais são os mais presentes na vida dos filhos, mesmo que o amor seja enorme e a participação ativa quando estão presentes.

    ResponderExcluir
  10. Querida avó, que bonito ver a sua participação na educação do seu neto. Não há nenhum problema em utilizar o método Doman com seu netinho, pois o importante é o vínculo de amor entre o adulto cuidador e a criança, é esse vínculo que faz com que o aprendizado seja amplificado. Aliás, as aulas de natação e bateria são um estímulo maravilhoso para ele, parabéns pela iniciativa. Pode investir tudo nessa relação que vocês todos só terão a ganhar. Um grande beio!

    ResponderExcluir
  11. Muito obrigada pelo retorno... Ele é realmente muito amado e estimulado. Engatinhou com 6 meses, andou com 10, já está nadando, tocando bateria e começou a andar de bicicleta sem rodinha esta semana. Estou comentando, pois a criança, quanto mais estimulada, mais ela corresponde. O que não pode acontecer é transformar essas atividades que percebemos são de vontade da criança, com um martírio ou desejo dos pais. Ele não é forçado a nada, mas percebemos que ele gosta muito de todas essas investidas. Um grande beijo e parabéns pelo seu blog. Estarei por aqui com frequencia :)

    ResponderExcluir
  12. Espetacular! Muito bom seu blog! Que inspiração! Parabéns!

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Encontrei esse blog pesquisando sobre escolarização em casa.Sou mãe de uma encantadora menina de dois anos que a qual tenho estimulado em casa e obtido ótimos resultados.Infelizmente como tenho que trabalhar fora(não por opção, embora eu goste do que eu faça-estudo pedagogia e sou auxiliar de sala de aula), tenho que deixá-la na escolinha, no entanto, apesar de fazerem várias atividades pedagógicas, lá eles priorizam o brincar e trabalham muito pouco a leitura e a escrita e por isso decidi fazer esse trabalho em casa.
    Estou encantada com o blog e pretendo devorá-lo.Eu nunca tinha ouvido falar do Doman e estou bem interessada em seu método.
    Náy

    ResponderExcluir