14 de março de 2012

Painéis estimulantes na volta às aulas

Este post está MEGA atrasado, mas antes tarde do que nunca, não é? Está bem difícil conseguir tempo para postar, mas estou me organizando. Os meus outros blogs, das aulas (música, inglês e Bíblia) estão quase saindo, aí vou tentar publicar em cada um - inclusive aqui - pelo menos uma vez por semana. A mensagem que segue, embora atrasada, fica como o registro da realização de um sonho. Até agora me dirigia a vocês como mãe, agora, como mãe e professora. Beijos!
--------------------------------------------------------------------------------------

Pois é, as aulas na escola começaram! As deles e as minhas, que agora oficialmente não sou mais uma desempregada. Deus é TÃO bom comigo, minha gente, que me sinto a pessoa mais abençoada de todo o planeta. Cursei duas faculdades antes de descobrir que o que eu queria ser era professora, exatamente como eu dizia quando era criança (a gente às vezes esquece os sonhos que tem). Lembro perfeitamente da sensação no meu primeiro dia de aula na faculdade de Licenciatura em Música: a sensação de ter me encontrado, de estar em casa, de estar num lugar onde me encaixei. Aí veio a gravidez de Vinícius, e lembro de tantas aulas em que íamos os três - eu , papai e Vinícius - para a faculdade, ele apenas com 45 dias de vida. Eu tirava o leite do peito e o deixava com o pai em casa até a hora deles virem me pegar, ou então, quando era apenas uma aula, ficavam os dois me esperando no pátio, Vini com uma fralda no rosto para a luz não atrapalhar o soninho. Todo mundo já nos conhecia como o "casal do bebezinho". E quantas vezes tive que sair da aula porque ele estava chorando, e lá ía eu amamentá-lo. Você tem idéia do que é fazer aula de regência coral com um bebê no peito? kkkkkk No final do curso, a alegria do fim e de um novo começo: a gravidez de Rafael. Lembro nitidamente de cada proposta de emprego recusada. E foram muitas, muitas mesmo. Por um tempo chorei, me descabelei, me senti arrrasada. Depois decidi me aceitar como eu era: uma mãe dedicada, que resolveu dar prioridade à Educação dos filhos, a estar junto deles, a amá-los de perto, da forma mais presente possível, em quantidade e qualidade de tempo. Escrevi no diário de desenvolvimento de Vinícius:

"Meu filho,
Dentre tudo de bom, grandioso e importante que eu poderia fazer, você foi a minha melhor escolha".

E por 4 anos e meio tive o privilégio de estar em casa, trabalhando apenas com eles. Um privilégio que resolvi reconhecer como uma bênção divina, porque nesse tempo pude participar de quase tudo que meus filhos são hoje.
Aí, Deus me dá mais um presente maravilhoso: a oportunidade de começar a vida profissional que tanto sonhei fazendo o que mais gosto na vida: dando aula... para meus filhos também!
Estou trabalhando na escola deles, ensinando musicalização, inglês e Bíblia.
Faz dois meses que durmo cerca de 4 horas por noite preparando as aulas, pois é o único momento mais calmo do dia para eu pensar e criar. Mas tem valido a pena pois as aulas estão saindo exatamente como eu quero: divertidas, estimulantes, cheias de conteúdo apresentado como brincadeira.

O primeiro dia foi uma loucura: minha primeira aula foi no primeiro horário do primeiro dia de aula da turminha do maternal. Da pra imaginar, né? Um chororô, uma agonia. Mas a aula conseguiu transformar algumas carinhas chorosas em sorrisos. E o sorriso pra mim virou parâmetro: para checar se a aula está dando certo, basta olhar o semblante deles. Estão sorrindo? Ah, então está funcionando. E está. Eu hoje sou a criatura mais feliz do universo, dá licença? kkkkkk Não estou me cabendo em mim.

Pode ser que as postagens aqui fiquem menos frequentes, e não é por falta de idéias, já que tenho vários posts semi-prontos para colocar aqui, mas o tempo pra sentar e editar, isso que vai ficar mais difícil, especialmente porque tenho planos de fazer mais 3 blogs, um pra cada disciplina, a fim de dividir com pais e outros professores minhas idéias e aulas. Mas vamos caminhando, certo?

Hoje vim só contar a novidade e mostrar os painéis que fiz aqui para as sala dos meus filhotes. Serve também para quem faz homeschooling ou os entusiastas de montessori.

- Painel do maternal - Jardim de leitura
Eu achei uma toalha de mesa que estava rasgada de um lado e pensei: "Olha, essa estampa tá bem bonitinha!". Cortei, fiz o abanhado e toda a parte de "costura" com cola brascoplast (adesivo de contato, minha grande amiga!), fiz bolsos com pedaços de calças jeans velhas. Colei velcro no miolo das flores e nas folhas, e costurei esses bichinhos de feltro em pedaços de elástico preto. Em cada bichinho há um pedaço de velcro que você pode grudar e desgrudar em vários lugares diferentes do painél. E o elástico é para as crianças não perderem os bichinhos, já que numa sala de aula isso seria fácil de acontecer. Os livros em encapei todas as páginas com papel contact e furei no meio, nas duas extremidades, e prendi o elástico também. Todo os elástico estão bem amarrados dentro dos bolsos, numa argolinha que costurei lá dentro escondidinha. Os bichinhos de feltro eu já tinha, usava como luvinhas para cantar, enchi apenas com manta acrílica e terminei de colar. Você pode adquirí-los NESTE SITE.



(Nesta foto ele está muito alto. Sou a favor que o painél seja colocado num nível bem baixo, para as crianças explorarem livremente)

(O elástico passa pelo meio do livro entre os dois furos, em cima e embaixo)

(É interessante colocar livros que tenha a ver com os bichinhos do painel)


- Painel do Infantil III - Letras e quetais

Eu já tinha esses cartões com letras e palavras em inglês, que usava com Vinícius, mas eles ficavam dentro de um s aco plástico guardado, e de vez em quando eu os trazia à luz. Mas decidi que o melhro mesmo é eles serem visualizados, especialmente nessa fase de letramente em que eles estão, em que uma referência concreta é tão necessária na hora de escrever.
O painel foi feito com vinil transparente e cola para vinil. A cola você compra em lojas de material de construção. Você também pode usar adesivo de contato (cola brascoplast), mas a cola vinil é mais transparente. Tenha apenas o cuidado de fazer o trabalho num local arejado (o cheiro é forte e perigoso de inalado demais), e de usar pouca cola, pois se você colocar demais ela é tão forte que faz um buraco no vinil. Na verdade parece que ela dissolve uma camada do vinil, e quando você coloca um pedaço por cima ela os une bem fortemente. Achei uma maravilha!
O vinil você encontra para vender de metro em lojas especializadas em plásticos e lonas. Aqui a gente encontra várias delas no centro da cidade, eles vendem os plásticos em rolos grandes, e muita gente compra pra fazer toalha de mesa impermeável. Mas ele tem muitas utilidades, inclusive, encapar livros para substituir o caríssimo e trabalhoso papel contact. Um metro do vinil transparente (com 1,40 m de largura) custa entre R$3 e $6, dependendo da espesssura. Neste trabalho usei o segundo mais fino. Fiz o acabamento nas bordas do painel com fita adesiva colorida. Nos bolsos que sobraram, coloquei espaços para o tempo, a estação do ano, o calendário do mês e uma plaquinha de bom dia.

(Quando você vir uma loja com plásticos na frente assim, entre, é lá que vende-se o vinil transparente)

O legal desse painel é que alem de proteger os cartões, cada bolso pode ser trabalhado durante a aula, por exemplo: pedir que as crianças coloquem no bolso da letra A, figuras que comecem com a letra A que acharam em revistas velhas. Ou, o inverso, que tirem do bolso figuras de coisas com a letra A e que falem ou escrevam seus nomes. Dá para criar várias atividades.



(Depois de dobrado ele ocupa pouco espaço)

O outro painel é do ajudante do dia. Usei a embalagem de uma caixa de livros que tinha aqui. No círculo, colei, por trás, um envelope de plástico do tipo para CD. Em cada CD vou colocar o nome da criança que vai me ajudar naquele dia. E embaixo, o número de meninos e meninas que vieram naquele dia, para eles fazerem o cálculo do total.