1 de abril de 2013

Dinossauros - uma abordagem criacionista para crianças

(Se você não é muito dado(a) a discussões filosóficas, pule logo para o próximo tópico em negrito)

Já falei aqui e pelos grupos que frequento que minha atitude em relação à ciência, com os meus filhos, é de honestidade, mesmo quando ela prega algo que vai de encontro a nossas crenças. Embora me preocupe em ensiná-los nossos valores, também me preocupo que eles tenham consciência crítica, e isso vale tanto para a ciência quanto para a religião. Acredito que é saudável e bom que as crianças aprendam a questionar, a  indagar, a investigar, a comparar e formar, elas mesmas, suas opiniões. É uma atitude um tanto "arriscada" de minha parte se considerarmos apenas o aspecto religioso: parte da religião se baseia em simplesmente aceitar, e é a isso que chamamos de fé. Mas tenho a convicção de que a verdade não anula a fé. E que nenhuma fé é válida se não passar pelo crivo da verdade. Creio não só pelo "sentimento" de fé, mas pela segurança de que essa fé tem uma base sólida para mim, seja essa base formada por argumentos racionais ou pela minha experiência com o transcendente, mas em ambos os casos, uma fé que se firma no que sinceramente creio ser a verdade.

Quero dar a chance dos meus filhos experimentarem isso também. Quero que eles estejam preparados para lidar com um mundo que vai por em prova não somente a fé mas todos os valores que eles aprenderam em família. E quero que eles confiem em mim para partilhar suas dúvidas, seus conflitos. Não gostaria que se sentidessem "traídos" ao se depararem com formas diferentes de ver o mundo e  pensarem: "Mas a mamãe nos garantiu que o mundo era aquele lugarzinho onde vivíamos!". Com respeito à Ciência, quero que eles percebam a importância dela para a nossas vidas, que compreendam o grande valor dos cientistas, mas não acho que seja necessário plantar neles um outro tipo de fé cega: a de que a ciência é infalível, e tudo que os cientistas dizem, mesmo suas suposições, são verdades inquestionáveis. Porque a própria história da humanidade - mesmo a história recente - prova que nem sempre os cientistas - tal qual alguns religiosos - foram honestos ou verdadeiros. Há muito mais que a verdade em jogo, há interesses políticos, econômicos, e muito mais. Resta-nos acreditar através de fatos e opiniões próprias, que às vezes são formadas por simpatia com aquelas hipóteses com as quais nos identificamos mais.

Todo esse intróito é porque acho delicadíssimo tratar de qualquer tema que diga respeito à ciência das origens. Esse é um território que está cheio de hipóteses e suposições, e poucos fatos comprovados: mesmo o que existe de concreto nem sempre esclarece os fatos. Mesmo as tentativas de se chegar a esses fatos: datação com carbono,  achados arqueológicos, estudos e análises, são passíveis de, desde um simples erro de precisão, até as mais grotescas fraudes. Então falar sobre origens será sempre estudar sobre uma interpretação humana dessas origens.

Vejamos os dinossauros. Crianças são facilmente atraídas por esse tema, tão fascinante e misteriosa é essa manifestação, já extinta, do nosso mundo natural. Aqui em casa comprei livros que explicam a versão científica para a realidade da existência dos dinossauros, e para as suposições em torno de sua vida e desaparecimento. E construímos linhas de tempo em cima das eras geológicas, lemos sobre as hipóteses aceitas para o desaparecimento dos dinossautos, investigamos o que nos diz a ciência sobre como era a vida na Terra nesse período, chegamos a reconstruir isso em maquetes. São nossas aulas de ciências.

Mas espera aí, não somos cristãos e criacionistas? Sim. E não é confuso para uma criança estudar as duas coisas ao mesmo tempo? Não. Porque não fazemos ao mesmo tempo. Estudamos criacionismo em nossas aulas de Bíblia. Mas bem, criacionismo é muito mais que a versão bíblica para os fatos naturais. Na realidade existe hoje o que se chama de ciência criacionista, com vários estudiosos - biólogos, arqueólogos, paleontólogos, químicos, astrônomos, físicos, etc - realizando estudos sérios a respeito das origens do universo, da Terra, dos dinossauros, do Homem e do funcionamento do mundo natural. Não preciso dizer que esses cientistas não são lá muito bem vistos no meio acadêmico. Um criacionista com bons argumentos e pesquisas maravilhosas será sempre um "réles" criacionista, olhado como alguém pronto a fraudar a "verdade científica" para puxar a sardinha pra o lado da Bíblia. Mas se você se der ao trabalho de ao menos conhecer o que esses pesquisadores tem a dizer pode ficar realmente impressionado. Especialmente com aquilo que não é divulgado com muito estardalhaço no meio científico, uma vez que vai de encontro às opiniões vigentes tidas como "verdades científicas", mas que por vezes são aceitas - posto que tem provas irrefutáveis - até pelos cientistas céticos (nesses casos eles geralmente preferem o silêncio). Particularmente eu não consigo acreditar em tudo que leio sobre os trabalhos dos cientistas criacionistas. Algumas vezes sinto que alguém está querendo mesmo "forçar a barra". Às vezes chegam a ser vergonhosas as fraudes discaradas que encontramos pelos meios cristãos... mas isso não é privilégio de criacionistas: numa pesquisa bem rasteira no google é possível descobrir fraudes horríveis vindas dos evolucionistas, motivadas não por ideologia, mas por desejo de fama e dinheiro. Então que fazer? Ser sensato, eu acho. Saber que homens e suas ideias são falíveis. Avaliar com o máximo de imparciliadade aquilo que se mostra como fato, e não aceitar sem questionar as suposições. Mas também não deixar de considerar uma suposição só porque ela não parece com aquilo que aprendemos nos livros de biologia da escola. Esse exercício mental pode ser muito, muito interessante e gostoso. Se no final você não chegar a uma conclusão, sua fé não vai estar abalada por isso, muito menos sua crença na ciência. Haverá espaço para as duas crescerem e mais: para que você trabalhe por isso. Porque é nessa busca pela Verdade que acontecem os encontros mais significativos com o Divino e com a Ciência.

Então é assim que agimos por aqui: ciência na aulas de ciências, criacionismo na aula de Bíblia. E em ambas as aulas, os melhores argumentos a favor de cada uma.

"Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima."
(Louis Pasteur)



Oficina de Criacionismo para Crianças


Essa oficina foi realizada durante um Encontro de Criacionismo realizado em minha igreja. Pensei que as crianças poderiam se sentir deslocadas com a complexidade dos temas tratados pelos adultos, e resolvi levar a elas um pouco de criacionismo de forma lúdica, divertida, mas ainda assim, com conteúdo de "gente grande". É engraçado que, quando se fala de oficina para crianças, a maioria dos adultos sempre imagina alguns papéis, tintas e lápis de cor para passar o tempo. Mas amigos, eu respeito muito, muito mesmo, a inteligência das crianças.


Depois de uma pesquisa sobre o tema - que infelizmente não pôde ser muito profunda, mas foi bastante intensa - elaborei um arquivo de power point com os principais tópicos a serem mencionados em nossa oficina. Eles compreendem o que a Bíblia fala a respeito desses animais. O ponto-chave da versão criacionista, é que Deus criou os dinossauros e eles conviveram com o homem por um longo tempo: algo impensável para qualquer cientista cético. Há supostas provas históricas, antropológicas e arqueológicas dessa hipótese, mas preferi não citá-las neste material por serem muito controvertidas. Se você tiver interesse em pesquisar sobre o assunto, basta digitar "dinossauros criacionismo" no google e vai achar muito material, em inglês e português, contra e a favor. Mas procure filtrar bem o que vai ler. Primeiramente avalie o currículo e a respeitabilidade das pessoas que estão dando sua opinião. Desconfie daqueles que não citam fontes, apenas fotos, argumentam com opinião ao invés de dados. É bom dar-se o trabalho de ver também a explicação evolucionista para algumas suposições criacionistas, isso permite que você faça um julgamento imparcial, não apenas motivado por algo que parece ser "fantástico". Mesmo com esse filtro você vai encontrar muitas coisas interessantes, especialmente quanto a maneira como  os dinossauros podem ter sido extintos. Ao final deste post deixei uma boa bibliografia para iniciar uma pesquisa nesse campo.


Seguem abaixo as atividades que realizamos durante a oficina, por ordem cronológica. Foram apenas dois dias, portanto não deu para fazer tudo que eu queria. Por isso segue abaixo também outra lista de atividades sugestivas, para quem quiser explorar mais o tema.

1 - OVOS DE DINOSSAUROS

A receita leva 2 xícaras de areia (usei essas coloridas de saquinho, que se vende em lojas de arranjos de plantas artificiais), 1 xícara de farinha de trigo, 1/2 xícara de água, 1/4 xícara de sal, anilina (opcional), dinossauros de plástico. Dobrei essa receita para fazer 13 ovos (depois fiz outra).


Misture tudo até formar uma massa homogênea. Ela não vai ficar tão ligada quanto massinha de modelar, por exemplo, mas é facilmente modelável e não gruda nas mãos.

Molde os ovos com as mãos

 Leve ao forno alto pré-aquecido numa assadeira coberta com papel manteiga até ficarem duros (cerca de 15 minutos). A parte externa vai ficar bem durinha, e por dentro ele fica um pouco mole. Por causa da cor da areia os meus ficaram parecendo croquetes kkkk da próxima vez farei com areia verde.

Depois de frios, coloque numa cesta com palha
 

Esta é uma atividade que agrada crianças de qualquer idade. Fiz com crianças de 2 a 15 anos, e todas ficaram absolutamente fascinadas e felizes em abrir os ovinhos.

2 - CLASSIFICAR DINOSSAUROS

Eu queria ter tido tempo de fazer cartões com as imagens dos dinossauros e seus nomes, tudo bonitinho. Não deu. Mas as crianças observaram nas imagens do power point as características físicas dos dinossauros, seus nomes, e depois associamos as miniaturas que eles encontraram dentro dos ovos a cartões escritos à mão mesmo. Para quem tem tempo e tinta de impressora sobrando, recomendo ESTES CARTÕES AQUI para as crianças compararem com as miniaturas e fazerem a classificação.


3 - CONSTRUINDO FÓSSEIS

Aqui, na verdade, foram duas atividades. Na primeira utilizamos o livro "Superciência - Dino", da editora Ciranda Cultural. Este livro é muito bom: tem textos curtos e objetivos, figuras com recriações realísticas dos dinossauros, vem com um jogo de tabuleiro e um quebra-cabeças em formato de ossos de dinossauros para montar. Coloquei os "ossos" dentro de uma caixa com areia, e depois de explicar sobre o trabalho dos arqueólogos e paleontógos, eles receberam ferramentas para explorar a caixa, recolher os ossos e montá-los de acordo com o modelo. Não é uma atividade fácil para os pequenos com menos de 5 anos, mas mesmo assim eles aprendem pela observação.

 

Em seguida as crianças receberam uma folha com um esqueleto de dinossauro para colar macarrão sobre ele (tipo penne, mas  você pode usar outros formatos também). O molde que usamos é este abaixo (clique para ampliar):


Depois usamos a areia da caixa de fósseis para colar ao redor dos ossos, dando um efeito bem legal ao nosso "achado arqueológico".

Os nossos fósseis prontos, junto a um jardim do Édem bem, digamos, incomum :-)
 

 4 - FÓSSEIS COM TINTA MÁGICA

Para recapitularmos o que aprendemos sobre os fósseis no dia anterior, fizemos essa atividade. Você vai precisar de conta-gotas com água e tinta misturadas. Usei tinta guache diluída, mas vc pode usar outro tipo de tinta solúvel em água. Certifique-se de que a cor fique "viva" no papel, mas ao mesmo tempo que seja uma tinta rala. Desenhe sobre os ossos do dinossauro, previamente, com giz-de-cera branco ou tinta pastel branca. Peça que as crianças pinguem as gotas da tinta sobre o desenho e espalhem com o dedo para que o desenho dos ossos seja revelado. Minhas crianças ficaram tão empolgadas que pediram o giz-de-cera para fazer suas próprias palavras e desenhos e revelar com tinta também :-)


 O molde que usamos foi esse (clique para ampliar):


5 - LIVRO DE ATIVIDADES - PASSATEMPOS SOBRE DINOSSAUROS

Separei um tempo livre para eles explorarem esse livrinho. As atividades são simples e interessantes: labirintos, montar dedoches e quebra-cabeças e modelos de dinos, colorir, ligar pontos, etc. 10 atividades no total. Não há uma ordem a ser cummprida, as crianças escolhem o que querem fazer e fazem, simples assim. Como não daria tempo de fazer tudo, elas levaram o livro para casa de lembrança.



6 - TRABALHANDO COM ARGILA

 Disponibilizei argila e palitos de fósforo com duas propostas para as crianças: fazer miniaturas de dinossauros que vimos no power point, ou fazer fósseis usando dinossauros plásticos. Todos se empenharam e se divertiram com essa atividade sensorial. Tenha em mente que a argila suja MUITO, então tome precauções quanto a isso ;-)


Nossos dinossauros bíblicos - o Beemote e o Levitã - esperando secar ao sol.

  7 - DECORAÇÃO

Além do painel com um Éden cheio de dinossauros também usei mais dois recursos visuais:

Este dinossauro articulável. Basta colar sobre cartolina ou papelão, furar nos pontos indicados e prender com bailarinas (ou colchetes), que é esse trocinho aqui, que vc encontra em qualquer papelaria. Usei papelão. Ampliei a imagem usando o programa POSTERIZA, e imprimi em quatro folhas de A4. Clique na imagem para ampliar.


 Este móbile eu fiz com os modelos que seguem na pasta abaixo. Alguns são 3D. Pintei morrendo de pressa e ficou no mínimo esquisito, mas fica mais bonito se você tiver tempo de caprichar e pedir para as crianças ajudarem a pintar. O pterodáctilo que fica em cima, sustentando os demais (fio de náilon), eu também ampliei usando o mesmo programa (posteriza), e imprimi em duas folhas de A4.


Sugestões de atividades-extra

 Fantoches com meia ou caixas de papelão.
 Modelos em 3D feitos com papelão.

 Para calçar e andar como os dinossauros ao som de uma música.


 Máscaras (um bom complemento para usar com os pés de dinossauros)

Quebra-cabeças recortados de pratos de papel.

 Tamancos com EVA grosso colado em baixo, em forma de pegadas de dinossauros: para pisar na tinta e imprimir as pegadas num papel. Ou para fazer pegadas na areia também.

 Biscoitos com chocolate branco

 Dedoches.


Sugestão de leitura

Sorteei com as crianças essa pasta da editora Brasil Leitura (que custou apenas R$ 7,00). Ela vem com dez livrinhos e um CD-ROM com jogos, vídeos e músicas. Usa a versão científica.


 O livro que usei como fonte de pesquisa, fora os materiais que vi na internet. Fala sobre o trabalho de uma paleontóloga cristã e sua visão equilibrada dos fatos. Gosto muito da forma como a autora procura não dar respostas prontas, mas levar a criança a indagar os fatos e formar sua própria opinião. Também li trechos deste livro para as crianças da oficina. As ilutrações e fotos são bem bacanas. "Dinossauros - como surgiram e por que eles desapareceram", de Elaine Grahan-Keneddy, editora CASA.

Este livro sugere uma versão diferente da usual para o desaparecimento dos dinossauros. "Os dinossauros", de Wheeler e Coffin, da editora CASA.

 Para saber mais sobre Criacionismo - "A história da vida", de Michelson Borges, editora CASA
 
 Este livro trata sobre um dos principais argumentos em que os criacionistas se apóiam: o Designer Inteligente. "A ciência descobre Deus", de Ariel Roth, editora CASA.

 Este livro pretende harmonizar ciência e Bíblia quanto ao tema da origem da vida. "Origens", de Ariel Roth, editora CASA.

7 comentários:

  1. Monique Oliveira1 de abril de 2013 15:22

    Não sei pq eu ainda me espanto com seus posts se já conheço sua criatividade de outros grupos rs. Incrível sua dedicação, paixão, conhecimento, criatividade e tudo de lindo que a gente pode ver nesses lindos trabalhos. Adoro quando ciência e religião andam juntos, um não precisa excluir o outro. Como sempre, as dicas foram pro arquivo, para usar quando ensinar sobre o tema para o meu filho.

    Parabéns!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Lu!!!!!!! vc não existe!!!! como consegue fazer tanta coisa?!? estou embasbacada... impressionada... e todos os adas do mundo. Não te largo nunca mais!!!!! rsrsrs Obrigada por compartilhar tudo isso, com tantos detalhes!!!!

    ResponderExcluir
  3. Luciana, mais uma vez parabens!! adorei a abordagem do tema e o material também! Iremos fazer por aqui.

    Lydia

    ResponderExcluir
  4. Estou encantada com tudo isso aqui! Vc é demais!

    ResponderExcluir
  5. parabéns, vc é minha guru rsrsrs
    sou mãe de 2 meninos também! amo muito tudo isso!érica

    ResponderExcluir
  6. Parabéns tudo muito criativo. E ainda por cima me ajudou com um trabalho da faculdade. Valeu!!!

    ResponderExcluir
  7. Lú!!!!!!!!!
    Que saudade de você!! Estou eu navegando no google procurando textos sobre criacionismoXevolucionismo para crianças quando me deparo com seu blog. Que maravilha!!!! Primeiro amei tudo o que encontrei aqui e já encontrei o tema do Aventuri do próximo ano. Me manda as outras idéias que você não conseguiu executar. Não esqueço dos aniversários de Vini que você fez sempre criativos e inovadores. Meu email é krapedreira@gmail.com. Um beijo grande!!! Katherine

    ResponderExcluir