31 de março de 2013

Nossa páscoa

Porque nem só de ovo de chocolate vivem as crianças, este ano resolvemos vivenciar bem este período segundo as crenças e valores de nossa família. Como frequentamos uma igreja, a compreensão desses valores já começou lá...

 Na quinta-feira de páscoa, participamos de uma "cantata de páscoa", que organizei com crianças, jovens e adultos de nossa igreja. Foi uma celebração singela mas emocionante!  Vinícius cantou lindamente - foi a primeira apresentação musical em grupo vocal da qual ele participou. Creio que a primeira de muitas, pois ele adora cantar e tem um ouvido maravilhoso para música.
 (a resolução da foto não ficou boa porque eu estava fazendo a narração e a regência, hehehe o vídeo com a cantata inteira esta AQUI)

  No sábado nossa família participou da cerimônia de "Lava-pés" e "Santa Ceia", em que relembramos a importância do sacrifício de Jesus por nós e renovamos nossa fé na promessa de uma nova vida.
 Vinícius e papai participando da cerimônia.


 No domingo de páscoa, fizemos uma encenação das cenas bíblicas que antecederam a morte e ressureição de Cristo. Aqui está Jesus entrando em Jerusalém, montado num jumentinho enquanto as pessoas agitam folhas de palmeira (ok, é um galhinho de pé de acerola, mas faz-de-conta...), e dizem "Aleluia, hosanas ao Filho de Davi!"


 Depois, Jesus convida seus amigos para uma última refeição juntos. Foi a última Ceia. Jesus abençoou o pão e o vinho, deu graças e repartiu entre eles...
 (O pão foi mesmo essa bolachinha de água e sal, mas por quê? Nessa época da páscoa os judeus não comiam pão com fermento, porque quando saíram do Egito - a Pessach - não houve tempo de esperar a massa do pão levedar, eles estavam com pressa para escapar do Faraó, e o pão asmo representa isso, a memória do dia em que Deus os libertou. No Novo Testamento o fermento também simboliza o pecado. Reparem que nas igrejas - evangélicas ou católica - o pão é simbolizado por um tipo de bolacha mesmo, feita à base de farinha e água. Como eu não tinha nenhum pão sírio por perto, a bolachinha serviu bem :-)
 "Tomai e comei, este é o meu corpo!"
 "Tomai e bebei, este é meu sangue, que é derramado por muitos." (Marcos 14: 22 - 24)

 Depois Jesus saiu para orar com seus amigos, mas um deles o traiu, e trouxe soldados que levaram Jesus para o crucificar. Interessante que eu não tinha intenção de representar essa parte, por achá-la muito forte. Apenas narrei a história. Mas Rafael, espontaneamente, abriu os braços e ficou em posição de cruz...

 Jesus foi enterrado numa tumba que parecia uma pequena caverna. Sobre a entrada, uma grande rocha foi colcada, e soldados tomavam conta dela...
 No terceiro dia, Maria Madalena foi levar perfumes para colocar no corpo de Jesus e não o encontrou. Ela pensou que o corpo tinha sido roubado, mas um anjo apareceu e disse que Jesus estava vivo!

 Usei figuras de feltro que comprei neste site AQUI, e atrás colei canudos com adesivo de contato, para que pudéssemos fazer nosso teatrinho.

Jesus voltou a aparecer aos discípulos, e depois de conversar com eles, ele subiu ao Céu, prometendo que, do mesmo modo que foi, um dia voltaria dos Céus para nos buscar. Sim, porque Jesus sente muita saudade de estar com eles, conversar, comer e brincar com eles... e conosco também!
 (Coloquei uma lâmpada de led dentro do túmulo vazio para dar um efeito cenográfico kkkk)

 Mais uma vez ele tomou a iniciativa de subir na mesa e levantar os braços como se estivesse subindopara o céu :-)

 Depois eles pegaram os bonecos e foram encenar a história para o papai.

 Imprimi cartões com as cenas que representamos para que eles ordenassem e recontassem a história. Foram retirados DESTE SITE.

 Também fizemos atividades de linguagem, motricidade e matemática com o tema. Retirados deste SITE AQUI.

 Uma das tarefas pedia para escrever uma frase sobre Jesus, e é com essa frase que Vinícius escolheu escrever que eu me despeço desejando uma feliz páscoa!!


 
 PS.: Ainda hoje vamos pendurar esse lindo móbile, indicação da querida Heleneida Krauss, no quarto dos meninos :-) Basta clicar na figura, salvar e imprimir. No blog dela também há atividades ótimas com o tema da páscoa, baseadas na música "Coelhinho da Páscoa", que nós também fizemos durante a semana. Sim, eles sabem que não tem coelho na páscoa, como não existe saci nem bicho-papão, mas gostam da música mesmo assim :-)

9 de março de 2013

Cabana de tecido e bambolê

Vi ainda há pouco uma foto de uma dessas cabaninhas no grupo Montessori para Mamães, e me lembrei que fiz uma há um ano atrás. A ideia era partilhar o passo-a-passo aqui, mas não sei porque não o fiz na época (sei sim, porque sou uma criatura desmemoriada).

Eu classifiquei com a tag "Montessori", porque ela proporciona um espaço definido para a criança, um lugarzinho onde ela tem privacidade para explorar seus brinquedos, livros, de forma confortável e sossegada.

Não vou mentir, deu um BOCADO de trabalho, mas isso é porque não sou uma menina prendada. Então isso prova que tanto as mamães mais habilidosas quanto as mais desajeitadas podem tentar fazer. É uma ideia apropriada para bebês e crianças em qualquer faixa etária.

PASSO a PASSO

Material:

- 6 metros de cetim (2m de cada cor) + 3 metros de tule vermelho. Comprei tudo por R$ 25,00
Escolhi o cetim por ser um tecido leve, brilhante, colorido e barato. Tem de vários tipos,  comprei o mais simples. O tule ficou para o telhado. Como aqui é muito quente, optei por não fechar a tenda em cima com tecido, para ficar mais ventilado, assim, o tule é só para dar um efeito decorativo de telhado.

- 3 peças de 10 metros de fita cetim 21mm (1 de cada cor) - R$ 7,50

- Apliques de EVA com tema circo - R$ 4,50

- 1 metro de pelúcia (mas só usei a metade) - R$ 25,00. Escolhi a pelúcia para o chão da tenda, mas você também pode fazer com EVA. Inclusive, acredito que o EVA grosso, daquele tipo tapete, é ainda melhor, pois dá mais estabilidade à tenda depois de pronta. O tapete de pelúcia é bonito e confortável, mas fica enrolando, de modo que eu tive que pregá-lo ao chão com velcro.

- Item mais importante: colas brascoplast (adesivo de contato). Vários tubos. Não lembro mais quanto usei, sei que foi muito porque colei TUDO com cola. Não sei costurar kkkkkkk

- 2 Bambolês em m´dulo da marca "bambolelê" (não anotei o preço). Escolhi esse bambolê, porque o bambolê infantil normal é muito pequeno. E o grande é muito caro. Com esse bambolê em módulos ele fica no tamanho que você quiser. E eu queria grande porque aqui em casa são dois na cabana...



Abaixo, eu toda feliz porque consegui brincar de bambolê depois de anos. Descobri na net que o bambolê precisa ser grande para você conseguir girálo na cintura, se for adulto. Por isso raramente um adulto consegue girar os bambolês infantis, tem que ser proporcional ao tamanho da pessoa. Como sempr efui grandona, entendi porque, mesmo pré-adolescente, ficava frustrada por não conseguir dançar a música do bambolê da Xuxa kkkkkkk Minha frustração acabou!

Depois do bambolê montado, prendi fitas nele para fazer a sustentação da tenda. Escolha fitas bem resistente. O difícil é você conseguir colocá-las de forma simétrica, de modo que o bambolê fique bem equilibrado. Eu usei quatro fitas, mas quanto mais você amarrar, mais estável o bambolê vai ficar, sem risco da tenda ficar pendendo pra os lados. Prenda-as com um ganchinho para pendurar no teto.


Depois veio a parte mais trabalhosa: cortar todos os tecidos e emendar cada um cola. A cola (adesivo de contato) funciona muito bem com o cetim. Se for usá-la procure apenas fazê-lo num ambiente aberto e arejado, pois o cheiro é bem forte. Se estiver amamentando nem pensar, hein? Como as emendas ficam com a marca da cola, colei as fitas de cetim por cima. Para não ficar tão manchado, é só espalhar a cola com o dedo depois de aplicar. Todo o acabamento do tecido tb foi feito com essas fitas (porque não sei costurar abanhado!)


Na ponta dos tecidos, fiz o espaço para o bambolê passar (imagine uma cortina de varão). Meça o diâmetro do bambolê, e dê uma folguinha para não ficar difícil de passá-lo depois. Usei um cabo de vassoura para me ajudar.

 Para melhorar a ventilação, resolvi fazer uma janelinha na tenda. Colei a fita cetim em cima de umas tiras de papelão,  para a janela ficar bem firme, sem ficar molenga, caindo. Depois fiz outra do mesmo tamanho: a ideia é ficarem uma sobre a outra, só que uma fica na parte de dentro da tenda, e a outra fica na parte de fora da tenda.

 Depois é só cortar o tecido da janela. Aqui medi a 60 cm do chão e marquei com lápis.

 Na parte de dentro da tenda fiz bolsos, um de cada lado e um abaixo da janela, usando o mesmo esquema de retalhos de cetim com acabamento de fita.

 Colei o cetim por baixo do tapete de pelúcia, que foi cortado em formato redondo, usando o bambolê como molde. .

 Neste ponto um mistério: eu lembro de ter tirado dezenas de fotos da tenda pronta, de cada detalhe, dela "de corpo todo", com telhadinho e tudo mais. Mas não tenho a mínima ideia de onde foram parar essas fotos. Já vasculhei tudo por aqui e não encontrei. Dela, por fora, só sobrou a foto abaixo, e estava meio bagunçada porque as crianças já tinham brincado bastante lá dentro. Acabei levando-a para a escola, e colocando na sala de Vinícius. Virou um cantinho de leitura para as crianças. Repare que coloquei velcro na abertura, até uam certa altura. Não aparece na foto, mas também coloquei pregadores, um de cada lado da abertura frontal, "segurando" a portinha de entrada. E uma bandeirinha com apliques de circo por fora, e por dentro também colei vários apliques para enfeitar (cadê as fotos, cadê???)


Hoje, por falta de espaço, ela está guardada. Mas rendeu momentos muito gostosos, tanto com meus filhos quanto com meus alunos.

Na net é possível achar modelos lindos desse tipo de cabana/tenda. Procure no google imagens por "kids fabric tent", "cabana de tecido para crianças" "cabana ou tenda de bambolê". Gosto muito desse passo a passo AQUI. Se quiser fazer algo só para uma brincadeira ocasional, experimente amarrar tiras longas de TNT ou fitas no bambolê e pendurá-lo no alto. Improvisar com lençóis tá valendo também ;-)

6 de março de 2013

Programa Inicial de Música - Doman

Este post se destina não apenas a quem pratica os programas de estimulação infantil criados por Glenn Doman como também a pais, mães ou educadores que desejam conhecer mais uma forma de musicalizar a criança. Este talvez nao seja o melhor programa de musicalização infantil, mas certamente é o mais fácil para quem não entende NADA de música e deseja começar do zero, junto com a criança. Também é uma opção para educadores, que tem tão pouco material teórico sobre musicalização para essa faixa etária: conhecer o programa é abrir horizontes para novas possibilidades em educação musical. Ele é um subprograma de "Bits de conhecimento enciclopédico", ou seja, procura introduzir a criança no mundo das notas musicais e dos sons, preparando-a para o futuro estudo formal de um instrumento musical. Mesmo que não se tenha esse objetivo em vista, o programa também serve como forma de educar os ouvidos e desenvolver a percepção sonora, mais especificamente, trabalhando a percepção rítmica e melódica. Também é uma oportunidade de incrementar o aprendizado cultural da criança, e ainda trabalhar a concentração e a sensibilidade para saber ouvir, nesses dias de superexposição a ruídos.

Faz um tempo recebi aqui os três livretos disponíveis para venda no site do IAHP. São as únicas publicações sobre música fundamentadas no método Glenn Doman que consegui. Elas são utilizadas no programa de Música que é ministrado aos pais nos Institutos para o Desenvolvimento do Potencial Humano (IAHP). Ano passado me debrucei sobre este tema e escrevi um artigo para um congresso de Educação Musical (ABEM), onde o mesmo foi apresentado. E este trabalho acabou sendo também um bom resumo para quem quer conhecer e aplicar o programa inicial de música - o primeiro da série de três níveis.

Vale salientar que nesse trabalho eu me detive mais em explicar a parte técnica mesmo, como ele está estruturado, qual sua origem, objetivos, e toda a parte procedimental. Se você tem dúvidas sobre a parte de teoria musical (explicações sobre termos e conceitos musicais), aconselho a aventurar-se e procurar pela net, onde é possível encontrar materiais muito bons para iniciciantes. Recomendo ESTA SELEÇÃO de links sobre o assunto. Os livretos originais podem ser encomendados ao preço de $15 mais frete por este e-mail.

Para não iniciados no método Doman, recomendamos fortemente que, antes de ler este material, leiam sobre o método Doman nos livros e em nossos posts. Em nosso grupo no facebook também é possível encontrar muito material de consulta.

BAIXAR ARQUIVO PDF
(Resumo do Programa Inicial de Música)

Este artigo foi baseado neste material original:
PROGRAMA INICIAL DE MÚSICA
Por Kathy Myers, diretora musical dos Institutos

Visando a ajudar na divulgaçao do conhecimento musical entre nossas crianças, e como forma de inventivar os próprios pais a estudarem junto com seus filhos e fazerem a iniciação musical dos mesmos, criei um "Kit Programa Inicial de Música". Neste Kit está tudo que você precisa para começar o programa. Veja seu conteúdo abaixo:

1 - Arquivo em pdf explicando como usar o Kit - Nele há um resumo bem objetivo de cada etapa do programa, e orientações básicas para entendê-lo. São cinco etapas abrangendo diferentes formas de estímulos musicais e auditivos, que devem ser aplicadas conforme o orientado, caso contrário a criança poderá começar a se desinteressar. Então não vale usar só uma parte do programa, especialmente se forem as notas musicais isoladas. Se você quer dar uma olhada no arquivo antes de baixar o Kit, CLIQUE AQUI.

2 - O arquivo power point que foi usado no Congresso da ABEM para apresenar o programa. Também é uma forma de conhecer, objetivamente, sobre Glenn Doman e seu Programa Inicial de Música.

3 - Arquivo APRECIAÇÃO MUSICAL - a primeira etapa do programa. Um arquivo .txt com orientações e como baixar vídeos com peças eruditas simples, curtas e especialmente editadas para ser apresentadas a crianças pequenas.

4 - Pasta de OUVIDO ABSOLUTO - a segunda etapa do programa. Um .pps e um .ppt (arquivo power point editável) com os nomes e sons das notas musicais (para a escala diatônica de Dó Maior)

5 - Pasta LEITURA DE NOTAS - é a terceira etapa e está subdividida em duas partes. Contém um .pps e um .ppt (editável) com os nomes das notas, e mais outros dois só com o som das notas. Nesta pasta também incluí um pequeno programa, o "Noteworthy composer", que é bem fácil de usar, e ainda coloquei um pequeno manual ensinando a usar seus comandos básicos. Também acrescentei algumas partituras simples, para que o adulto possa contextualizar as notas que serão ensinadas à criança: de preferência ele deve escolher uma canção que ela conheça, e usar as notas dessa canção no programa. Com o Noteworthy composer é pósível acrescentar outras notas ao power point.

6 - Pasta LEITURA RÍTMICA - A quarta etapa do programa. Contém um .pps e um .ppt com a representação de figuras e células rítmicas, lidas com a minha voz de taquara rachada. A voz guia é só para os pais terem uma noção da leitura. Depois que abusarem no meu sotaque, podem eles memos fazer a leitura, o que é altamente recomendável. A partir daí poderão criar, eles mesmos junto com a criança, suas próprias combinações de ritmos.

7 - Pasta TERMOS MUSICAIS - vários power points editados para servirem de "Bits" de conhecimento musical. Estão todos em inglês, mas são facilmente editáveis. Servem mais para ilustrar que tipo de conhecimento você pode apresentar à criança.

A pergunta que não quer calar: Com que idade começar? Recomendo a partir de 6 meses até 6 anos.

115 MB

No vídeo abaixo estão demonstradas as cinco etapas do programa. Bem à época que eu deveria apresentar meu trabalho no congresso da ABEM meu pequeno Rafa adoeceu de pneumonia e lá ficamos nós 15 dias internados no hospital. Acabei tendo que fazer os vídeos lá mesmo.



Observações: No primeiro vídeo demonstrativo, o de apreciação musical, minha ideia era fazer cócegas para brincar com ele. Mas depois, assistindo ao vídeo, percebi que ao fazer isso eu o desconcentrei desnecessariamente. Repare no esforço que o coitadinho faz para prestar atenção ao vídeo e a mãe boba aqui não deixa. Não façam isso em casa, crianças heheheh No vídeo do ritmo é possível perceber que tem uma hora que ele olha pra trás: entenda que a criança não precisa parecer muito atenta ao programa para ele funcionar. Hoje mesmo uma amiga  comentou em um grupo do facebook em que participo que se preocupa com o fato do filho não prestar muita atenção às coisas que ela mostra. Isso é totalmetne normal e saudável. Crianças bem pequenas, até 3 ou 4 anos, não focam mesmo a atenção por muito tempo em nada, a não ser que seja algo pelo que ela tenha profundo afeto. Mas ao mesmo tempo, esas mesmas crianças possuem uma extraordinária capacidade de captar as informações sem precisar estar muito focadas nelas. Qualquer mãe mais experiente sabe do que estou falando. Aquela conversa que você tem perto da criança, despretensiosamente, enquanto ela brinca, pode vir à tona num futuro breve, com ela usando exatamente suas palavras, quando você achava que ela não estava nem prestando atenção em você. Por essa incrível capacidade de assimilar informações do ambiente, as crianças pequenas não precisam ser forçadas a olhar, ficar paradas ou caladas enquanto você mostra uma informação.