21 de janeiro de 2014

Xadrez para crianças

Embora eu seja um tanto xenofóbica em relação à cultura americana, tenho que dar o braço - ou melhor, os dois e mais um nariz - a torcer em relação ao material educativo deles dirigido à primeira infância. E um dos grandes benefícios do imperialismo cultural americano sobre o mercado editorial brasileiro foi o incentivo à publicação de livros para crianças pequenas com assuntos que antes eram apenas domínio do mundo adulto. Hoje é possível encontrar livros incríveis sobre assuntos tão reais quanto interessantes como o cosmos, zoologia, cinema ou programação de computadores com uma linguagem simples e graficamente interessante para crianças até sete anos.

Um desses assuntos que antes eram privilégio de gente grande é o xadrez. Hoje é possível encontrar muitos livros de xadrez para o público infantil. Neste post vou compartilhar as impressões de alguns títulos que adquiri, mas há muito mais. Para quem se interessar pelo tema, aconselho uma visita a uma livraria grande, onde se possa folhear o livro e observar se a linguagem e o conteúdo condiz com a idade do seu filho. Neste post também seguem dicas para quem quer iniciar o aprendizado do xadrez com seu filho a partir de quatro anos (em média, guie-se pelo interesse do seu filho). E sim, você pode ensinar xadrez mesmo começando do zero - como aconteceu comigo. Basta que estude junto com seu filho. Não vai ser difícil gostar de aprender ;-)

Caso você ainda relute, recomendo a leitura desses artigos sobre os benefícios do xadrez para a mente dos pequenos:

Benefícios do Xadrez para a capacidade intelectual das crianças

Xadrez na escola - como pode ajudar no aprendizado


Como o xadrez ajuda a inteligência e o caráter das crianças.

Artigo sobre xadrez como estímulo ao raciocínio lógico


Meu Primeiro Livro de Xadrez - Editora Ciranda Cultural

Esse, de fato, foi nosso primeiro livro sobre o tema. Ele vem com um tabuleiro e com peças de plástico que são guardadas num estojo na lombada do livro, então é bem prático levá-lo junto com o tabuleiro para onde você quiser. Na foto abaixo estávamos, na noite de ano novo de 2012/2013, esperando dar a hora de olhar os fogos de artifício e matando o tempo com ele.


Na época Vinícius tinha 5 anos, e desde o quatro, quando ganhou um tabuleiro de xadrez bem simples de presente de uma amiga, ele me pedia para o ensinar a jogar. Eu até gostava da ideia, mas pelo fato de não saber absolutamente NADA sobre xadrez me sentia intimidada a começar. Parecia um jogo difícil demais para mim, que dirá para ele. Até que um dia eu o flagrei jogando o "Chess", aquele joguinho que vem com o Windows, só ele e o computador. E ele tava jogando de verdade! Apenas pela observação deduziu algumas regras e estava lá, dando tapa de luva da mãe negligente.

Foi aí que resolvi comprar esse livro e começar a estudar junto com ele. Gostei muito do livro porque ele é bem simples, objetivo, fácil de ler e manipular. É um livro para deixar ao lado do tabuleiro MESMO quando se está começando, porque dá para consultá-lo em caso de dúvida (existem abas para localizar facilmente a página sobre a peça que você quer). Aliás, os gráficos são autoexplicativos, nem é preciso ler muita coisa.O livro apresenta as peças e seus movimentos além de falar brevemente sobre as regras básicas do xadrez. Traz ainda curiosidades e episódios históricos. Hoje o livro está servindo também para o irmão mais novo, de três anos, que por ver o irmão jogando também se interessou pelo tema.



Xadrez para iniciantes - Editora Todolivro

Este é uma coleção de dez livrinhos tipo brochura, cada um com um assunto:

- A história do xadrez
- As peças e suas movimentações
- O xeque e o xeque-mate
- As anotações da partida de xadrez
- Movimentações especiais e golpes táticos (rei e peões)
- Golpes táticos (bispos e cavalos)
- Golpes táticos (Dama e torres)
- Aberturas
- Finais
- Dicas importantes para um bom jogador


Recomendo para crianças a partir de seis anos que já estão alfabetizadas. Além das histórias, contadas por personagens infantis que também jogam xadrez, há alguns gráficos, diagramas e regras para analisar. Crianças de seis anos têm verdadeiro fascínio por regras, e o xadrez é uma ótima maneira de ajudá-las a compreender a importância destas. Na página da editora é possível ver um vídeo com mais detalhes da coleção.

Conto Xadrez - Volumes 1 e 2 - Editora Artmed

O volume 1 é bem básico. Inicia com uma história ricamente ilustrada sobre a origem do xadrez,  e depois passa a discorrer sobre o tabuleiro, as peças e suas movimentações, alguns lances especiais, e termina com alguns passatempos sobre o tema. Vem com um tabuleiro também, mas de papel cartão, e eu tive que colar envelopes na contracapa para guardar o tabuleiro e as peças.



O volume 2 (Conto Xadrez - prático) é bem mais avançado. A metade do livro é com dicas sobre como anotar as jogadas e explica as regras de ouro do xadrez. A outra metade é só de análise de jogadas internacionais feitas por enxadristas famosos. O grau de dificuldade das jogadas vai aumentando à medida que o livro avança. Recomendo passar para esse volume só depois que a criança estiver bem segura das jogadas simples e lances especiais.

ALGUMAS TÉCNICAS QUE USEI AQUI EM CASA

- Comece falando da origem do xadrez de forma lúdica
A origem do xadrez realmente remete a uma batalha entre dois reinos. Então explore esse tema com fantasias, desenhos, teatrinhos... especialmente para as crianças de 4 anos é importante que cada jogada seja precedida por uma ambientação nesse "reino". Em alguns parques (como o Parque das Dunas em Natal - RN), há tabuleiros de xadrez e peças de madeira em tamanho gigante para que se possam fazer jogadas ao ar livre de uma forma bem diferente. Normalmente é preciso requerer o uso das peças na Administração do Parque. Mas você mesmo pode improvisar um tabuleiro assim em casa, montando peças em tamanho grande, como latas ou caixas de leite vazias com figuras coladas dos soldados, rainhas, reis, bispos, torres e cavalos e desenhando o tabuleiro com giz no chão. Também pode providenciar coroas de cartolina dourada para usar com seu filho enquanto joga. Enfim, use a criatividade para fazer seu filho jogar com imaginação.

 
 (foto retirada do blog http://away-together.com/2009/10/18/home-schooling-so-far/ )

- Aprendendo o nome das peças e os movimentos que elas fazem.
Essa é uma etapa importante em que não se deve ter pressa. Passei um ano inteiro jogando com meu filho apenas nesse nível antes de estudar as jogadas especiais. Quando for ensinar os nomes das peças, ensine também o lugar que elas devem ocupar no tabuleiro. Aqui eu usei uma associação meio boba, mas que funcionou: a torre fica na ponta porque ela demarca o castelo, o cavalo fica ao lado porque está amarrado na torre, e o bispo está ao lado do cavalo porque o cavalo é dele :-P

Deixe que a criança arrume o tabuleiro várias vezes e depois comece a ensinar as movimentações. No blog Bebê Gênio há um post e um vídeo sobre como um pai começou a ensinar sua filha de dois anos (coisa mais fofa deste mundo a Mirela). Nessa etapa você pode jogar algumas partidas com parte das peças, só para ele ir se acostumando com os movimentos delas ou ainda jogos simples com o valor relativo das peças. Jogue com ele outros jogos de tabuleiro que envolvam raciocínio lógico, como damas, trilha, ludo, etc. Um dia Vinícius me surpreendeu criando seu próprio jogo: ele usou o primeiro tabuleiro de xadrez que ganhou, que estava com algumas peças perdidas, e completou as peças com dados. Criou as próprias regras (algo com bombas que explodiam, infelizmente não lembro exatamente) e todas muito coerentes. Lembrei que quando criança eu também adorava criar meus próprios jogos. Não há melhor forma de deixar o raciocínio lógico se desenvolver. 

É normal que, com crianças bem pequenas, nesta fase, aconteçam "jogadas-espelho", com ela imitando exatamente os movimentos que você faz. Permita, mas faça leves interferências para que ela seja obrigada a, de vez em quando, fazer uma jogada diferente. No começo você também terá de ajudar perguntando: "E agora, o que você acha que vai acontecer com seu peão se eu colocar o meu cavalo aqui?" ou "Se você colocar a sua rainha aqui, o que pode acontecer ao meu bispo?", sugerindo assim soluções para ataque e defesa. Não sei se é assim que os professores de xadrez fazem, mas aqui funcionou bem. Se a criança perder muitas vezes sucessivamente é possível que ela se sinta frustrada e perca o interesse pelo jogo. Por isso eu dava uma "ajudinha", e à medida que sentia que ele já era capaz de compreender certos movimentos, ia deixando que ele jogasse sozinho. Claro que às vezes ele vai ter que perder, isso faz parte do jogo. Mas deixe que ganhe algumas vezes e o parabenize quando for capaz de raciocinar sozinho para capturar e se defender. Antes de ensinar os lances especiais catalogados, deixe que ele descubra por si muitas das causas e consequências envolvidas nas jogadas. Você vai se surpreender em quão rápido eles aprendem a antecipá-las. Na realidade, hoje eu tenho que me esforçar de verdade para vencer do meu filho de seis anos. Porque ele é muito bom, claro, mas também porque eu sou muito ruim hahahah


- Aprendendo sobre lances especiais e outras regras avançadas do jogo de xadrez
Em muitos parques há áreas para jogadores de xadrez. Aqui em Recife, no Parque 13 de Maio, há um galpão onde todo domingo se reúnem jogadores amadores e profissionais para treinar. É uma oportunidade muito boa para observar jogadas e, com alguma sorte, ser observado. Claro que seu filho deve ter noção de que não pode perturbar os jogadores, e é educadinho conversar com eles antes, pedindo permissão para que sejam observados, mas em geral os jogadores ficarão felizes em ajudar, dar dicas e talvez até jogar com seu filho uma partidinha para animá-lo (especialmente se deixar usar o cronômetro hehehe). Meu lema de mãe homeschooling-sem-dinheiro-no-banco-sem-parentes-importantes-e-vinda-do-interior é: quem não chora não mama.
Depois de observar jogadores e ler livros mais avançados sobre o tema, se você sentir que não dá mais pra suprir tudo sozinha, procure um curso de xadrez para crianças. Vai ser bom para que a criança socialize com outras que têm o mesmo interesse, participe de competições saudáveis e se sinta motivada a estudar num nível mais difícil. Aí vai ser a vez dele lhe ensinar o que sabe sobre o jogo.

O trecho abaixo, retirado DESTE ARTIGO, retrata bem as fases do aprendizado do xadrez, ainda que a idade seja apenas uma estimativa.

"Apesar de complexo, qualquer um pode aprender o jogo, basta praticar e, para isso, não há idade", diz Antonio Carlos de Resende, do Colégio Albert Sabin. Saiba o que a criança pode aprender com o xadrez em cada faixa etária:
4 anos: histórias e desenhos de xadrez e jogos paralelos com xadrez reduzido (menor quantidade de peças),
6 anos: a criança aceita com mais tranquilidade os jogos com regras. Pode começar a aprender as do xadrez...
8 anos: começa o trabalho ainda de forma lúdica mas enfatizando a questão espacial e principalmente a concentração.
12 anos: análise de jogadas, desenvolvimento de raciocínio lógico
14 anos: análise de partidas famosas de jogadores como Karpov, Kasparov etc para aumentar o repertório das crianças"

SITES E APPs

Xadrez para baixinhos - Blog que disponibiliza dicas e esse manual (CLIQUE AQUI para baixar) bacana cedido pelo Marcos Antunes, que também tem um filho enxadrista.

Oficina de Xadrez - Muitas dicas em linguagem acessível para iniciantes.

Chess Kid - Você pode jogar com outras pessoas ou contra o computador além de ter acesso a vídeos, artigos, quizzes, etc (em inglês). O site é seguro e pode ser supervisionado pelos pais. Há também uma versão em App.

Kid Chess - jogos bem interessantes e dicas (em inglês) para crianças que querem aprender xadrez.

 https://www.kidchess.com/funhouse/knighttour.htm
Jogo do site Kid Chess para aprender os movimentos do cavalo. Clique na figura para jogar.

50chessgames - Aqui não é possível jogar mas acompanhar passo a passo (basta clicar com o mouse no tabuleiro) 50 jogadas para iniciantes comentadas. Uma boa forma de aprender se você não conseguiu ir ao parque ver os jogadores reais.

Dinosaur chess - é um app para crianças que estão iniciando, em que personagens divertidas dão dicas e é possível monitorar o progresso da crainça. Não testei mas achei a proposta interessante.


Dino Chess 3D - como é grátis eu baixei esse e gostei. Tem duas coisas que meus pequenos gostam muito: dinossauros e explosões hahahah Há propagandas internas, mas nada que atrapalhe muito. É possível customizar o tabuleiro e jogar outros jogos. É para iniciantes, e um recurso legal é que ao clicar na peça (dinossauro) escolhido, ele mostra as opções que você tem para jogar, o que ajuda a ensinar sobre os movimentos das peças. Há uma versão com animais selvagens ao invés de dinossauros. Ambos apps têm versões para Android também.



ALGUMAS ATIVIDADES ESCRITAS SOBRE XADREZ

Elas podem servir de base para você começar e fazer suas próprias atividades.


História dos reinos do xadrez: uma inspiração para você contar a sua. Para baixar CLIQUE AQUI.

As peças e seus nomes - http://educarpiedade.blogspot.com.br/search/label/Curso%20de%20Xadrez

Apostila com vários diagramas para iniciantes - http://www.banquise.org/kid/easy-chess-games-for-kids-mate-in-one/  que aponta para este arquivo em pdf

Movimentos - http://www.cyber-chess.co.uk/ChessSite/Assets/Primary/moves.pdf

Peças no tabuleiro - http://www.cyber-chess.co.uk/ChessSite/Assets/Primary/set-up.pdf
Símbolos das peças - http://www.cyber-chess.co.uk/ChessSite/Assets/Primary/Symbols_name_colour-in.pdf

Nomes das peças - http://www.cyber-chess.co.uk/ChessSite/Assets/Primary/Pieces_name.pdf